Fiat
Mercado
Spot
Futuros
Finanças
Promoção
Mais
Zona de iniciantes
Fazer Login

ViaBTC Capital|Análise: Play to Earn ou Ponzi?

2022-08-09 09:24:19

Desde 2021, os jogos Play to Earn (P2E) cresceram. Após o sucesso do Axie Infinity, diversos tipos de P2E surgiram para se juntar à tendência, e cada um deles demonstrando vantagens únicas.

Algumas iniciativas superaram todos os projetos GameFi de primeira geração com jogabilidade aprimorada, mas ficaram desatualizados conforme a popularidade da categoria diminuiu.

Algumas equipes replicaram projetos de sucesso, como Axie, e tentaram copiar sua popularidade em outra rede, mas falharam porque ignoraram a vantagem do pioneirismo e o reconhecimento do mercado dos casos de sucesso.

Existem iniciativas que continuaram promovendo novos conceitos ao colaborar com grandes investidores, guildas de jogos e desenvolvedores. Estranhamente, esses projetos sobreviveram porque continuaram atrasando o lançamento de qualquer produto real.

Além disso, alguns projetos visavam estabelecer conexões com o mundo real através de modelos econômicos e designs de produtos exclusivos, que rapidamente atraíram muita atenção ao lançar o produto certo no momento certo.

O boom do GameFi é inseparável da tokenomicscombinar DeFi e entretenimento para permitir que os jogadores ganhem dinheiro enquanto jogam é um design genial. Com uma boa economia de token, os projetos podem alcançar um crescimento sustentável ao mesmo tempo em que introduzem casos de uso mais versáteis dos seus NFTs e tokens.

Play to Earn está nos trazendo um novo modelo interativo de ativos financeiros digitalizados. À medida que monetiza o tempo livre dos jogadores, o modelo evoluirá como uma parte importante do futuro do metaverso.

Hoje, vamos passar por alguns conceitos econômicos básicos e alguns de nossos próprios insights. Antes de tudo, vamos dar uma olhada em quantas funções existem no ecossistema P2E, bem como suas respectivas posições.

No segmento P2E, existem 5 participantes principais:

  • jogadores;
  • equipes de projeto;
  • desenvolvedores;
  • investidores;
  • detentores de NFT.

Ao se colocar no lugar dos outros, as equipes de projeto e os usuários podem descobrir novas perspectivas e até mesmo o valor potencial dos tokens.

De um modo geral, a tokenomics de um projeto lembra um pouco a política monetária de um país. Quando fazemos essas comparações, os tokens podem ser vistos como moedas fiduciárias e os NFTs do GameFi podem ser comparados à força de trabalho no mundo tradicional.

Normalmente, o mercado é o padrão pelo qual a mecânica do jogo e a tokenomics são testados. Ele orienta o design e a atualização como um todo.

1. Para começar, o conteúdo gerado pelo usuário é um ativo fundamental aos jogos. Os desenvolvedores geralmente limitam os usuários em termos de geração e compartilhamento de IP dentro de um jogo através de mecanismos NFT.

Projetos típicos que adotam essa abordagem incluem LOKAGold Fever e Thetan Arena. No entanto, alguns como Sandbox e Decentraland, oferecem cunhagem (minting) de NFT de código aberto, que permite aos usuários criar tokens não fungíveis conforme suas próprias preferências e habilidades.

Embora a cunhagem de NFT de código aberto geralmente signifique que o projeto distribuirá parte da receita para os criadores, a desvantagem de tal mecanismo é que ele não impede efetivamente o plágio, e os criadores podem vender versões ligeiramente modificadas de NFTs de sucesso a um preço mais baixo no intuito de atrair mais compradores.

Hoje, a solução principal é configurar um algoritmo de goleiro, que identifica semelhanças entre NFTs através de aprendizado automatizado.

2. Em seguida, vamos nos voltar para a geração de valor. A captação de valor dos ativos do jogo, incluindo tokens, tem grande semelhança com outros produtos blockchain: seu valor vem principalmente do consenso do usuário.

Um token só pode ter sucesso se as pessoas o reconhecerem e usarem seu modelo econômico, e o modelo pode cair em um círculo vicioso se os usuários não reconhecerem mais seu valor, que foi o que aconteceu com o LUNA.

A geração de valor requer:

  • produtividade a longo prazo;
  • cunhagem de ativos;
  • adesão de novos players.

3. Produtividade a longo prazo: Isso inclui principalmente apoio de um produto estável, investidores fortes e equipes competentes. Por exemplo, a Animoca, que tem grande influência no GameFi, criou uma certa base de jogadores para os projetos em que investe. Além disso, parcerias com guildas de jogos trazem tráfego de usuários constante, o que se traduz em maior volume de vendas de NFT e grande base de jogadores.

Outros fatores incluem imóveis virtuais, animais de estimação e serviços de nivelamento executados pela comunidade ou por outras partes a longo prazo.

4. Mineração de ativos: as iniciativas GameFi agregam valor à cunhagem de ativos através de seus mecanismos, que incluem o controle do nível de inflação de seus tokens.

Mais especificamente, a equipe deve emitir suprimentos adicionais de token e itens NFT conforme apropriado. Por exemplo, Sandbox introduziu o limite superior do fornecimento de terrenos e tokens.

Quando busca adicionar novos terrenos, deve considerar a emissão de novos tokens LAND, que inevitavelmente diluirão o valor do preço do terreno existente. Aqui, podemos comparar o terreno no Sandbox com os imóveis do mundo real.

Se a oferta habitacional aumentar enquanto a demanda e a oferta monetária permanecerem as mesmas, o preço dos imóveis definitivamente cairá, prejudicando os interesses dos compradores anteriores.

5. Inscrição de novos jogadores: Ao emitir mais tokens portadores de valor, a equipe do projeto deve equilibrar os interesses dos novos e antigos jogadores. Por exemplo, quem chegou depois e deseja ingressar no Axie enfrenta grandes desafios devido ao alto custo de entrada.

Os cenários de aplicação de tokens também são cruciais. Mecanismos GameFi bem-sucedidos ajudam o projeto a atrair mais jogadores e evitar comportamentos como trapaças e transações offline.

6. Governança: descentralização é a maior diferença entre o espaço blockchain e as indústrias tradicionais. O mesmo se aplica ao GameFi, que é descentralizado, e votação e governança são uma parte importante de alguns tokens da categoria.

Dito isso, é verdade que os projetos GameFi devem estabelecer uma Organização Autônoma Descentralizada (DAO) logo no início? Não exatamente. De fato, muitas iniciativas GameFi não introduziram o conceito de DAOs em sua infância, e sua comunidade não estava suficientemente preparada para governança autônoma em um estágio tão inicial.

Os desenvolvedores não precisam gastar esforços ou fundos na descentralização quando o projeto ainda é jovem. Em vez disso, eles devem se concentrar no conteúdo do jogo e em construir uma comunidade forte e uma grande base de usuários, que são os pilares da governança descentralizada.

A governança DAO dificulta a atualização e a iteração de projetos, e só faz sentido sua execução quando o jogo estiver bem estabelecido. No mercado GameFi de hoje, o token de governança de muitas iniciativas é ineficaz e a equipe do projeto que realmente detém o poder.

Além disso, a votação da comunidade tende a ser centralizada, e a maioria das iniciativas GameFi usa modelos semi-descentralizados em nome da descentralização total.

7. Lucros: Os jogadores podem obter lucros diretos/indiretos mantendo NFTs ou tokens.

Lucros indiretos: derivam do aluguel de personagens ou terrenos NFT, publicidade para projetos de metaverso, etc.

Lucros diretos: vêm do crescimento do jogo. Inscrição de novos jogadores e um mecanismo de queima razoável podem aumentar a demanda por tokens. Os projetos podem criar mais casos de uso para seus tokens, como atualização, reparo, transferência, interação e queima, assim reduzindo o fornecimento e aumentando a demanda.

Isso cria uma lógica de compra positiva: os tokens se tornam mais valiosos conforme seu poder de compra cresce, aumentando assim seu preço. Inclusive, alguns projetos trabalham para garantir o preço do token com estratégias como recompra e queima de tokens usando seus lucros.

A tokenomics do GameFi é complexa e merece uma discussão mais aprofundada. Não existe o melhor modelo econômico, e as equipes de projetos só podem procurar um modelo que melhor se adapte a si e às condições atuais do mercado.

Fonte:

Economia do Play to Earn — Economia de jogos

Gaming — The Daily Ape


Artigo Passado
US$2,525 bilhões hackeados: O mercado cripto se tornou um caixa eletrônico para hackers?
Artigo Próximo
Pontos de virada: o mercado altista está chegando?