Fiat Zona de iniciantes
Fazer Login
Academia de CoinEx

Você sabe quantos bitcoins existem no mercado?

2023-05-18 09:15:49

Explorando o número de bitcoins em circulação e as implicações para o futuro da criptomoeda

BTC e suas mudanças de preço

Sabemos que o Bitcoin (BTC) é a principal criptomoeda do mercado, criada em 2009 para revolucionar o setor e trazer liberdade financeira para todos. Uma característica do BTC que muitos conhecem, é o fato da emissão da moeda ser limitada.

Nesse artigo, você vai entender mais sobre o limite de emissão da criptomoeda, a quantidade que existe atualmente em circulação e o que isso significa para o futuro do BTC e do mercado cripto.

O limite máximo de oferta de Bitcoin

A criptomoeda possui uma oferta máxima limitada em 21 milhões de unidades. Isso significa que o criador do BTC, Satoshi Nakamoto, estabeleceu essa quantidade enquanto a criava para tornar a moeda escassa, e, assim, manter sua valorização através da lei de oferta e demanda. Tal decisão a torna diferente das moedas fiduciárias como o real ou dólar, que, por poderem ser emitidas a qualquer momento pelo governo ou pelo banco central, podem sofrer problemas de inflação.   

Vimos isso acontecer durante e após a pandemia da COVID-19, onde países tiveram que adotar medidas de saúde pública para implementar a quarentena e assim, acabaram emitindo mais moedas para aquecer a economia durante esse período. Esse fluxo gerou inflação, uma consequência que estamos lidando até agora, em 2023.

É por isso que o Bitcoin se torna tão atraente para diversas pessoas, principalmente para aqueles que desejam uma forma de fugir da inflação e ter mais liberdade financeira. 

Quantos bitcoins existem atualmente? 

Com a quantidade fixa de 21 milhões de BTC para serem emitidos, estamos atualmente em 92% desse montante - ou seja, cerca de 19 milhões de bitcoins já foram minerados. E pelos cálculos, o último será minerado apenas em 2140, já que a quantidade de bitcoins minerados diminui a cada 4 anos, através do halving.

A cada dia, segundo o site “Buy Bitcoin World Wide”, são emitidos 900 novos BTCs, e a cada 10 minutos, esse número aumenta, pois novos blocos são extraídos através da mineração (o processo de validação e emissão da criptomoeda).

Embora existam 19 milhões de bitcoins, nem todos eles estão disponíveis para a compra e venda no mercado. Isso porque muitos investidores acabaram perdendo o acesso a suas carteiras e chaves privadas. Algumas chaves privadas anotadas em papéis ou mantidas em um HD já foram até jogadas fora por pessoas que não sabiam o valor daqueles caracteres aleatórios. Entretanto, bitcoins também podem ser perdidos em erros de transação.

Isso significa que a quantidade real de bitcoins circulando pode ser menor que as 91% das moedas que já foram emitidas. De qualquer forma, o limite máximo de oferta da criptomoeda é uma característica fundamental para manter o ativo imune à inflação. 

No entanto, no futuro, isso também gera escassez e tende a levar o ativo a um preço alto no futuro. Por ser limitada, vale acompanhar a produção das novas unidades e entender como isso afeta o valor de mercado.

Projeções futuras para a quantidade de Bitcoin em circulação 

Como vimos, o último bitcoin a ser minerado vai ocorrer somente em 2140, talvez somente nossos filhos ou netos vão presenciar esse feito. Mas, o que vai acontecer quando o último BTC for minerado? 

As projeções futuras para a quantidade da moeda em circulação são importantes porque afetam o valor de mercado do ativo. Como a oferta de BTC é limitada, qualquer aumento na demanda pode significar uma alta no seu preço. Se a demanda continuar crescendo após o limite máximo de oferta ser alcançado, isso pode gerar uma escassez maior de BTC no mercado, e consequentemente, preços mais altos. 

No entanto, ainda será possível fazer negociações com a criptomoeda e comprar no mercado P2P (peer-to-peer), diretamente com o usuário. É importante observar que a produção de novos BTCs não é estática e pode ser influenciada por vários fatores, como mudanças na taxa de adoção da moeda, mudança na taxa de hash de mineração e alteração no protocolo. 

Conclusão

É verdade que muitos investidores perdem o acesso a sua carteira e aos seus bitcoins, por isso, vale compreender os métodos de segurança e de recuperação para não perder suas criptomoedas também. 

Aproximadamente 3 a 4 milhões de BTC foram perdidos e nunca foram recuperados. Acredite, mesmo que a última moeda seja emitida, esses ativos perdidos ainda vão continuar sem uso e sem recuperação. 

Por isso, antes de investir busque entender sobre o mercado e as formas de aprender a manter sua carteira segura, é um dos tópicos principais e um dos básicos a serem seguidos. Toda carteira possui uma chave privada de recuperação, que deve ser armazenada em locais que nunca serão esquecidos ou jogados fora por acidente. 

Essas chaves permitem você recuperar o acesso a sua carteira com os bitcoins mesmo não tendo mais a carteira física, por exemplo, recuperando todo o valor investido na moeda. Por isso o alerta é de extrema importância e cuidado.

Aqui na CoinEx, por exemplo, você terá acesso a diversos conteúdos que vão auxiliar a sua jornada no mercado, e terá um conta com a carteira integrada para recuperar mais fácil, caso esqueça a senha. Acompanhe os artigos publicados e nossas redes sociais para ter acesso a diversos conteúdos e tutoriais de como entrar no mercado.

Artigo Passado
O que é armazenamento de dados Web 3 e como funciona?
Artigo Próximo
Conheça a criptomoeda meme “Pepe Coin”