Fiat Zona de iniciantes
Fazer Login
Academia de CoinEx

O que é criptomoeda?

2023-03-09 06:31:38

História das criptomoedas e como elas funcionam

Criptomoeda é derivada da palavra grega “kryptos” que significa oculto e moeda significa literalmente dinheiro ou um valor geralmente aceito. Usando termos um pouco técnicos, as criptomoedas podem ser simplesmente definidas como um valor armazenado criptograficamente para evitar gastos duplos.

A criptografia é uma tecnologia usada para proteger dados usando codificação, essa tecnologia já existia a décadas antes do pseudônimo chamado “Satoshi Nakamoto” integrar a tecnologia para criar a primeira criptomoeda do mundo chamada Bitcoin.

As criptomoedas são alimentadas por uma tecnologia que possui alguns atributos únicos como imutabilidade, descentralização, transparência e outros que resolvem as vulnerabilidades da moeda fiduciária tradicional (dinheiro) e outras lojas físicas de valor como o ouro. Essa tecnologia é chamada de Blockchain.

Bitcoin

Blockchain é um termo simples, não fique emocionado com o nome chique, é literalmente uma cadeia de blocos. Esses blocos são dados agrupados no que chamamos de livro-razão, onde são distribuídos em uma rede de computadores que chamamos de nodes.

Esses nodes concordam com um protocolo denominado “Consenso” sobre como a blockchain opera. Diferentes blockchains têm diferentes consensos, exemplos de blockchains famosas são:

  1. Bitcoin Blockchain
  2. Ethereum Blockchain
  3. Solana Blockchain
Blockchain

Vamos mergulhar na parte técnica das criptomoedas e falar sobre os problemas que elas resolvem, que vão além do gasto duplo. O dinheiro tradicional que usamos em nossas atividades diárias tem muitas vulnerabilidades. 

Problemas que as criptomoedas resolvem

1. Inflação

De acordo com a definição do Wikipedia, em economia, a inflação é um aumento geral nos preços de bens e serviços em uma economia. Quando o nível geral de preços sobe, cada unidade monetária compra menos bens e serviços; consequentemente, a inflação corresponde a uma redução do poder de compra do dinheiro.

Os governos e os bancos centrais tendem a manipular as taxas de juros para aumentar facilmente a oferta monetária circulante de qualquer moeda, o que é uma questão fundamental com as moedas FIAT (dinheiro). Como resultado, os mercados são tipicamente injetados com liquidez, mas a oferta extra reduz o poder de compra dessa moeda.

As criptomoedas têm um suprimento rígido que não excede após a criação e mais criptomoedas não podem ser injetadas em circulação discretamente como o FIAT tradicional.

O suprimento total de criptomoeda é acordado antes da implementação, e o suprimento circulante pode ser injetado periodicamente ou queimado (eliminado) periodicamente de forma transparente, eliminando assim a principal causa da inflação.

USD & BTC

2. Remessa de transferência de dinheiro

Enviar dinheiro de um banco para outro banco local e internacionalmente usando remessas famosas como Western Union ou World Remit vem com taxas ridículas e confiança para que seu dinheiro seja transferido com sucesso. Além disso, leva muito tempo para a transferência ser processada.

A remessa do mercado geral atingirá cerca de um trilhão de dólares em breve. Esses intermediários tendem a receber muitas comissões para processar sua transferência e também confiança desnecessária.

As criptomoedas resolvem isso tirando esses intermediários, não há necessidade de confiar em terceiros, pois as transações são processadas automaticamente peer-to-peer (ponto a ponto) com uma taxa muito pequena (menos de um dólar).

Essas taxas são obtidas pelos computadores que protegem a rede de criptomoedas usando a tecnologia blockchain.

Rede de criptomoedas

3. Os desbancarizados

Mais de 2 bilhões de pessoas em todo o mundo ainda não possui uma conta bancária. Um número significativo de pessoas é impedido de participar do comércio internacional por restrições de infraestrutura e burocráticas.

Pode ser um desafio ter uma conta bancária e utilizar a moeda tradicional (FIAT) para indivíduos que não possuem uma devido a dificuldades financeiras ou que residem em uma região com poucos bancos. Pessoas sem instrução e pobres também podem ter acesso à criptomoeda e realizar transações com eficiência, sem muito conhecimento, com taxas significativamente baixas.

USD & BTC

4. Aumento na transparência em instituições de caridade e arrecadação de fundos

As criptomoedas resolvem o problema de transparência na arrecadação de fundos e em instituições de caridade. Devido à natureza transparente, as criptomoedas garantem a segurança dos fundos. Cada transação e remessa pode ser rastreada.

Isso também mantém o anonimato dos endereços por motivos de segurança. Para evitar fraudes e corrupção, a criptomoeda pode ser depositada diretamente nas carteiras cripto dos destinatários.

Muitas organizações sem fins lucrativos e organizações não governamentais (ONGs) se abriram à ideia de receber criptoativos como meio de pagamento para fácil acesso, praticidade e também para manter o anonimato, já que a maioria dos doadores prefere manter sua identidade anônima.

5. Segurança das Transações

A segurança das transações cripto é garantida, considerando que são ativos descentralizados (não governados por uma autoridade central) e também peer-to-peer. Quanto mais confiável for a blockchain, mais rígida será a segurança das transações, sendo essencialmente transparentes, pois podem ser vistas e rastreadas por meio de um explorador de blockchain.

Para quebrar essa segurança, você deve convencer mais de 50% dos nodes que protegem a rede a falsificar uma transação que é logicamente impossível, já que existem centenas de milhares de nodes em algumas blockchains, como a do bitcoin.

A segurança da criptomoeda varia de blockchain para blockchain, dependendo do número de nodes que protegem a rede e do seu consenso.

  • Características das Criptomoedas
  • Segurança garantida usando criptografia
  • Descentralização (não governado por nenhuma autoridade central)
  • Funciona Peer-to-Peer
  • Privacidade, com transações anônimas
  • Transação permanente e imutável (sem reembolso)
  • Moeda digital

Classificação das criptomoedas

1. Bitcoin:  

Esta é a primeira criptomoeda que já existiu, foi desenvolvida pelo pseudônimo “Satoshi Nakamoto”, é o criptoativo mais seguro e confiável.

Teve uma capitalização de mercado de mais de $400 bilhões em julho de 2022. O Bitcoin tem um suprimento máximo de 21 milhões de BTCs e nunca pode exceder esse valor, o que é uma vantagem sobre a FIAT tradicional em termos de inflação. O Bitcoin tinha cerca de 19 milhões em circulação em julho de 2022.

2. Altcoins: 

Altcoin é um termo usado para criptomoedas diferentes do bitcoin, todas as outras moedas são categorizadas como altcoins (Alts em resumo). Exemplos de Alts são: 

  • Ethereum
  • Solana
  • Matic
  • Stellar Lumen
  • Dogecoin, etc

3. Outras classificações

Shitcoins (Memecoins): 

Shitcoins também conhecidos como Memecoins é um termo usado para criptomoedas que não possuem utilidade, trata-se basicamente de um esquema de pump and dump.

Valendo mais de $16,36 bilhões por capitalização de mercado, os shitcoins são principalmente tokens e são extremamente voláteis por natureza em comparação com Altcoins e Bitcoin, e parecem uma aposta para os detentores.

 Stablecoins: 

O objetivo das stablecoins é oferecer um substituto para a volatilidade das criptomoedas mais utilizadas, como Bitcoin e Altcoins. 

Stablecoins são criptomoedas atreladas ao preço do dólar, sendo respaldadas por reservas em dólares que equivalem ao valor da criptomoeda estável em circulação. As stablecoins podem ser atreladas a outras moedas e também ao ouro.

Como e onde comprar Bitcoin e outras criptomoedas?

Existem diversas exchanges centralizadas, também conhecidas como CEX e exchanges descentralizadas conhecidas como DEX, caixas eletrônicos Bitcoin, etc.

Exemplos das principais trocas centralizadas de criptomoedas são 

  • CoinEx 
  • Binance
  • Coinbase, etc. 

A CoinEx tem vários parceiros de pagamento como Guardarian, Mercuryo, MoonPay, Advcash, Banxa e Simplex; e suporta diversos métodos de pagamento como VISA, Mastercard, Sepa, Transferência Bancária e SWIFT.

Na CoinEx você pode comprar as principais criptomoedas como Bitcoin(BTC), Ethereum(ETH), BNB e outras moedas famosas e emergentes. A exchange também possui recursos como negociação spot, negociação de futuros e margem, é simples de usar e possui uma interface amigável.

Você também pode comprar em outras exchanges importantes com base em sua jurisdição, caixas eletrônicos Bitcoin e exchanges descentralizadas como Uniswap, Pancakeswap, Sushiswap, etc.

Como armazenar criptomoeda?

Após comprar criptomoedas, você deve armazená-la em uma carteira digital segura para evitar fraudes, roubos ou hacks.

As criptomoedas são armazenadas em carteiras digitais e carteiras de exchanges centralizadas, mas é mais seguro armazenar seu ativo em uma carteira digital descentralizada, porque você obtém controle total, também pode ser uma carteira descentralizada de hardware, conhecida como carteira de armazenamento frio.

Exemplos de carteiras descentralizadas:

  • Trustwallet 
  • Metamask 
  • Torus
  • Gnosis

Ao criar uma carteira descentralizada, você receberá uma chave privada que é a chave da sua carteira (pode estar na forma de 12 ou 24 frases seed). Como proprietário desta carteira, você deve manter sua chave privada segura, pois ela é a chave para o seu ativo. 

Sob nenhuma condição você deve compartilhar sua seed ou chave privada, pois isso seria literalmente dar à pessoa o controle sobre seus ativos. 

As carteiras hardware são unidades físicas de armazenamento frio que contêm as chaves privadas da sua criptomoeda.

Exemplos de carteiras de hardware:

  • Ledger Nano X
  • Ledger Nano S
  • Trezor Model T
  • SecuX V

Elas podem ser obtidas em lojas físicas e comerciais.

Lojas físicas e comerciais

Como enviar e receber criptomoedas

As criptomoedas podem ser enviadas e recebidas de uma carteira para outra, cada moeda em sua carteira tem um endereço anexado a ela, que também é conhecido como sua chave pública para aquela criptomoeda específica.

As chaves públicas diferem de uma cripto para outra. Em uma carteira centralizada, é comum ver um endereço usado especialmente em uma rede para todos os tokens dessa rede(Blockchain).

Por exemplo, seu endereço de BNB será o mesmo de outros tokens na rede BEP20 (BNB Blockchain). Independentemente disso, é mais importante verificar seu endereço para cada token do que acabar enviando o endereço errado para o remetente e perder seus ativos.

Isso também se aplica ao recebimento de sua criptomoeda em carteiras descentralizadas, você deve sempre confirmar o endereço da criptomoeda específica e verificar a rede também.

Existem redes que pedem Memo, números exclusivos necessários para entregar sua criptomoeda, bem como a chave pública do criptoativo. Exemplos de moedas que requerem memo e chave pública são as moedas Stellar Lumens (XLM) e Ripple (XRP) e seus respectivos tokens em suas blockchains.

Em resumo, as criptomoedas estão aqui para ficar e são o futuro das finanças, conforme o mundo se descentraliza gradualmente. Não precisamos confiar em terceiros para processar nossas transações e manter os ricos ainda mais ricos pagando taxas ridículas para processar tarefas simples, como transferências de dinheiro.

A transparência e o anonimato também são importantes nas transações, e as criptomoedas são a maneira ideal de resolver esse problema. Por fim, a inflação, que tende a quebrar as economias, é resolvida.

Artigo Passado
O que são Finanças Centralizadas (CeFi)?
Artigo Próximo
Significado DCA (Média de custo em dólar)